Falar ou calar

670px-Ignore-Someone-Step-02

 

 

  • Ele me deixa louco com isso.

  • Porque?

  • Porque é um monte de coisa que não tem nada a ver sabe?!

  • Sim, por isso que eu fico me perguntando o porque você está incomodada?

  • Ah… ele não poderia falar isso!

  • Entenda: ele pode falar o que bem entender… a questão é como você vai lidar com isso?

  • Então, daí tenho que ficar me defendendo.

  • “Tem que”? Quem está te obrigando?

  • Ah, não sei… eu sou meio do tipo “não leve desaforo pra casa”.

  • Claro… mas neste caso está custando mais isso do que levar não é mesmo?

  • É…

  • E se você colocasse mais um ditado na sua mente, um como “cão que ladra não morde”?

  • (Risos) Acho que seria melhor pra mim né?!

  • Eu também!

 

Assim como minha cliente, muitas pessoas entendem que não devem levar desaforos para casa, mas até que ponto essa frase é realmente necessária?

A intolerância para com desaforos pode, muitas vezes, envolver a pessoa em brigas e discussões totalmente desnecessárias e improdutivas. Essas pessoas são vítimas fáceis de qualquer tipo de manipulação que envolva a agressão como forma de vinculação, assim como podem perder seu prumo muito rapidamente por achar que devem se defender de toda e qualquer acusações que venham a sofrer.

A pessoa torna-se intolerante à acusações e agressões  e isso a faz perder o prumo. Ao não aceitar que alguém possa ter uma opinião negativa à seu respeito ela começa a argumentar para que o outro mude a sua opinião, no entanto, se ela pega pela frente alguém cujo objetivo – neste caso – real é de prejudicá-la, ela nunca conseguirá convencê-la. E ainda mais: provavelmente será levada a mostrar raiva ou inadequação durante a conversa para comprovar que ela “não é tão boa quanto parece”.

Aprender o momento certo assim como o motivo e a maneira certa de se defender é algo muito importante para as pessoas. É importante avaliar o contexto: o que irá lhe trazer de “lucro” real defender-se neste contexto? É realmente tão importante? A maneira certa de se defender precisa ser vista também, por vezes o simples silêncio e o não-envolvimento em uma determinada discussão já enviam a mensagem de “não sou culpado, não preciso me defender”. Se a fala é realmente necessária e/ou adequada é importante manter o tom de voz, fazer perguntas ao outro no sentido de identificar especificamente ao que ele está se referindo, buscar as evidências nas quais a pessoa está se alicerçando e buscar estabelecer um clima de diálogo ao invés de um clima de disputa.

Sobre o motivo é importante que a pessoa tenha em mente se ela precisa que todos a aprovem ou não. Quando nos defendemos porque “todos tem que gostar de nós” somos vítimas fáceis e geralmente a pessoa cai um discussões inúteis. No entanto, se é possível para você saber que algumas pessoas não vão gostar de você não importa o que faça, ou que elas precisam não gostar de você por motivos pessoais dela, você se desvincula desta necessidade de aprovação e passa a se proteger quando você julga necessário, e esta necessidade, em geral, vem quando a pessoa percebe que a discussão pode levar à um caminho produtivo ao invés de um caminho negativo.

Abraço

Visite nosso site: http://www.akimneto.com.br

4 Respostas

  1. tava precisando!!

    Curtir

    • Que bom então né?!

      Curtir

  2. É isso mesmo, é bom exercitar esse pensamento e manter-se em equilíbio.

    Curtir

    • Isso aí Marisa, equilíbrio sempre faz bem!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: