Exclusão

– Eu fico com medo de fazer isso.

– O que você imagina que pode ocorrer?

– Ah, não sei sabe? Eu penso que se eu fizer algo assim e não gostarem podem querer me dar um gelo ou me tirar do grupo!

– Hum… tens medo de ser excluído do grupo é isso?

– É… acho que é isso sim.

– Entendo é um medo comum e normal. Mas me diga: o que vale mais nesse caso: a aprovação do grupo ou a sua saúde emocional?

– (pensativo) Hum… acho que é a minha saúde emocional… mas mesmo assim é  muito complicado!

– Imagino… digamos que resolvam te excluir por você se defender, fazer o que deve fazer… lembre-se: isso aí não é nada demais… como você poderia entender a “exclusão” deles e lidar com ela?

– Hum… não sei ao certo… eu acabo me culpando quando isso ocorre…

– Entendi, então você vai se culpar porque os outros são inadequados contigo? Grossos até?

– É… olhando assim não faz sentido né?

– Não.

– Eu não sei Akim, acho que se eles me excluíssem mesmo do grupo eu poderia começar falando: “hey, vocês estão me excluindo só porque eu me defendi e não quero ficar sendo o alvo da chacota de vocês?”

– Hum, muito boa, confrontar é um passo ótimo!

– E se eles respondessem que sim eu poderia ir… sei lá… tentar procurar outra turma.

– E desde o princípio se dar o respeito não é mesmo?

– É…

– Perfeito! Acho que além disso você pode ter em mente de mostrar para eles que não é nada pessoal, simplesmente você não gosta do jeito que eles falam com você.

– Isso.

Todo ser humano possui um certo receio da exclusão. Como somos seres sociais a nossa tendência é desejar estar em contato com outros seres humanos, fazer parte de um grupo, de uma família. Não é por acaso que “exílio” é uma forma de punição, às vezes mais dolorida que a morte.

No entanto, existem situações em que para se manter dentro de um grupo – ou relação – o custo emocional é muito elevado e não compensa o fator social. É quando a proximidade é mais custosa do que o “exílio”. Isso pode ser dar por vários fatores como bullying (manter-se num grupo que te atormenta o tempo todo é mais custoso do que ficar sozinho), maus-tratos, violência (até que ponto vale a pena manter-se numa relação ou num grupo que são violentos com você ou que são negligentes?) e diferenças de condutas (algumas pessoas são muito diferentes e não conseguem combinar essas diferenças nem respeitá-las, ficar longe muitas vezes é melhor que a proximidade).

Nesse sentido a pessoa muitas vezes precisa confrontar o medo da exclusão e de ficar só. Uma das primeiras tarefas é mudar o foco de “vou ficar só” para “vou manter a minha auto-estima elevada”, “vou manter a minha saúde emocional”, “vou correr atrás da minha felicidade”. A mudança de foco é fundamental para que a pessoa crie a motivação necessária para viver algo que é penoso de fato e, com a mudança poder até desfrutar disso.

A segunda parte do processo e entender como lidar com o que lhe causa medo. Muitas vezes a pessoa tem medo de sair de um grupo porque não tem muitas habilidades sociais para encontrar um novo grupo, tem que aprender. Outras vezes a pessoa sente-se culpada por sentir o que sente e “causar problemas” ao grupo, é importante desfazer a culpa e mostrar que ela está buscando a sua integridade, a qual não tem preço. O medo pode estar ligado também à sobrevivência e a pessoa deve aprender a tornar-se independente, manter o seu estilo de vida sozinha para conseguir desvincular-se adequadamente.

Todas estas dicas tem um importante lembrete: muitas vezes o medo da exclusão é só isso: um medo e não uma possibilidade. Assim, quando a pessoa começa a “fazer o que tem que fazer” ela começa a posicionar-se de forma diferente em sua vida e essa mudança traz outras muito positivas que alteram a forma pela qual ela relaciona-se com o seu grupo e a exclusão fica longe de ser uma possibilidade.

Abraço

Visite nosso site: http://www.akimneto.wordpress.com

2 Respostas

  1. Gostei do texto! Parabéns, pelo site!

    Há grande esforço para se manter no grupo, o que causa um considerável desgaste no indivíduo. Mesmo assim, continua no grupo, quem sabe buscando aprovação, sentimento de pertença, uma identidade, em fim, há muitas possibilidades. Porém no texto, o indivíduo, aparenta ter também medo da mudança. Talvez no fundo justifique para ele suportar esse sofrimento, enquanto ainda não encontrou em si mesmo apoio para fazer outras escolhas. Quando dizemos (como figura) “Tenho medo de ser excluído do grupo”. Pode ser que no fundo dessa figura, nós já tenhamos excluído esse grupo de nós mesmos.

    Um abraço a todos!

    Curtir

    • Oi Walter!
      Obrigado pelo comentário! Com certeza a mudança é difícil quando a pessoa imagina que pode ser excluída e não sabe como lidar com isso.
      Toda mudança causa impactos em nossa vida e se não soubermos – ou acharmos que não – lidar com esses impactos mudar será difícil.
      Abraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: