Eu não esperava por isso

– Depois que eu conversei com ela, ela me disse que ia falar com a diretora para ver se conseguia rever a minha situação.

– Opa, que bacana hein?

– Pois é Akim, não esperava por isso sabe?

– Porque não?

– Eu não falei com ela com essa intenção, estava apenas desabafando. Nunca pensei que ela ia fazer isso ao me ouvir.

– Sim eu sei, o que isso tem a ver com você e com o como você trata os seus desejos?

– Hum… é aquilo de eu não dar muito valor para o que eu quero sinto?

– Por aí… tanto que você “não esperava” que ela pudesse ter uma atitude diferente quando você falou com ela, percebe?

– Sim, mas é que eu falei sem a intenção.

– Sim, por isso mesmo: geralmente você fala quando percebe que não tem mais o que fazer. Agora esta situação mostrou para você que se colocar pode fazer toda a diferença na sua vida, que tal aceitar essa cena como algo para pensar?

– É… pode ser né? Afinal ela fez algo que parecia que não tinha como ser feito.

– Pois é…

Sempre que nos dizemos “eu não esperava” estamos querendo dizer que a realidade excedeu nossas expectativas sobre uma dada situação. Isso sempre é fonte de aprendizado seja quando temos conseqüências “boas” ou “ruins”.

A questão fundamental para transformar isso em aprendizado é aceitar o que ocorreu. Ao aceitar podemos refletir sobre a situação, o nosso comportamento e o que resultou disso tudo. A meta não é criar regras, mas sim gerar experiência, ou seja: ampliar o nosso modelo de mundo, conseguir perceber mais informações de uma mesma situação.

Além disso segue o segundo passo: estar atento ao seu comportamento e no como ele influenciou – com sua intenção ou não – os resultados. Muitas pessoas quando são surpreendidas ficam magoadas e tendem a buscar culpados ou a responsabilizar o outro ou o ambiente pelos resultados. Disso não advém muito auto-conhecimento. Apenas quando analisamos o como o nosso comportamento afetou os resultados é que podemos gerar experiência para então termos mais opções no futuro.

Se você não estava esperando por algo e esse algo aconteceu, aprenda! Por mais dolorido que possa ser saiba: aí existe aprendizado e quando você aprender o que precisa a mágoa começará a se dissolver.

Abraço

Visite o nosso site: http://www.akimneto.com.br

2 Respostas

  1. Muito bacana o texto. Achei interessante os dois pontos chaves.

    1º) Não ser necessário criar regras para todo padrão de comportamento/resultado.. ação/reação

    2º) Projetar o resultado de tudo como se a pessoa não tivesse participação ativa diante àquilo, projetando tudo no externo.

    Abraço.

    Curtir

    • Oi Júlio!
      Legal, boas colocações.
      Para aprender muitas vezes precisamos nos colocar em pontos de vista diferentes, analisar a mesma situação por outros olhos: os nossos, o de outras pessoas, o de uma instituição…

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: