Independência

– E o que eu quero é ser assim sabe? Independente!

– Sim, claro, quem não quer? Me conte: o que é independência para você?

– É não depender de ninguém para nada sabe? Fazer o que eu quero!

– Entendo… interessante: seu conceito de “independente” envolve o outro “não depender de ninguém”.

– Hum é verdade…

– Daí que me parece que você sabe que é independente quando não depende, mas isso não significa, necessariamente que você sabe manter o que você deseja, sustentar o seu próprio desejo.

– Hum… nunca tinha pensado nisso, mas faz sentido até… Tem várias vezes que eu penso em fazer alguma coisa, mas na hora eu desisto e faço outra nada a ver, depois me culpo.

– Sim, é disso que estou falando. A frase: “sou independente, pois busco me responsabilizar pelos meus desejos, sonhos e problemas e criar as minhas respostas para eles” mexe com você de alguma forma?

– Sim… eu acho, que, na verdade é isso que eu quero sabe? Tenho um monte de sonhos, mas não consigo correr atrás… acho que o que eu preciso é disso.

– Ótimo, então vamos trabalhar para isso, certo?

– Perfeito!!

“Procuramos independência, acreditamos na distância entre nós”; a música do Capital Inicial fala sobre o tema de sermos independentes. Na verdade “independência” no sentido que queremos dar não existe. Ou seja, nenhum ser humano é independente do outro, todos nós possuímos uma conexão em maior ou menor grau. qualquer ser humano afeta e é afetado por outro ser humano, dai que independente no sentido de “eu me basto só” é uma falácia filosófica no sentido de que nenhum ser humano é alienado do restante do universo, ele vive dentro do universo, sendo, portanto, uma parte dele; e biológica até: precisamos de dois seres para nos criarem e além disso temos hoje o conhecimento dos neurônios espelhos que mostram que o cérebro humano é programado para criar vínculos.

Mas então, o que é ser independente?

A independência tem muito mais a ver com a atitude que temos frente à nossos desejos, sonhos e problemas do que se eu “me basto sozinho”. Por exemplo: uma pessoa que busca a ajuda de um engenheiro para construir a sua casa não é uma pessoa independente porque está “dependendo” do engenheiro para construir a sua casa? Ela deveria aprender engenharia e construir sozinha – obviamente sem pedreiros também? Fazer os tijolos, a madeira, o aço e tudo mais que envolve uma casa? Isso é a ideia do “me basto sozinho”.

Ter a atitude é buscar as soluções pelo meu próprio pensamento, pela minha própria ação. Isso pode envolver eu buscar a ajuda de um terceiro, por que não? Se eu tenho dúvidas e conheço quem pode me ajudar, é uma atitude independente buscar as informações com essa pessoa. Diferente disso é esperar que alguém me traga as respostas, ou que alguém me diga o que fazer. A dependência não se cria quando aceitamos sugestões de alguém, quando entregamos à alguém algo nosso ou quando abrimos nossos problemas com outras pessoas; ela começa a surgir quando acreditamos que somente essa pessoa terá as soluções e que nós não temos o que fazer sem ela. É nesta atitude que reside a real dependência.

Exercitar a nossa independência é exercitar a escolha, o livre pensar e agir. Nada tem a ver com não poder contar com outras pessoas ou aprender com elas, mas sim em perder o vigor e a atitude de raciocinar livremente consigo sobre tudo o que vive e entregar-se à vida como uma folha levada ao vento.

Abraço

Visite o nosso site: http://www.akimneto.com.br

2 Respostas

  1. Concordo que não há independência absoluta, no sentido estrito da palavra. Por mais que busquemos nossa liberdade, que queiramos ser donos dos nossos atos, sonhos e desejo, há sempre algo que está atrelado ao outro para que possamos assim encontrar esse equilíbrio almejado. É bom podermos ter nossas escolhas sem depender necessariamente dos outros. Entretanto, somos seres de interação, de modo que a independência ou liberdade para ir e vir possui sempre suas limitações.

    Curtir

    • Oi Marilene!
      Gosto de usar o termo autonomia.
      Autonomia não exclui o outro, pressupõe uma relação. Sou autônomo em relação à… consigo raciocinar sozinho esta ou aquela situação e após pensá-la vou para o mundo das minhas relações para usufruí-la com outros seres humanos.
      Obrigado pelo comentário, apareça sempre!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: