“Só” isso?

– O problema é que eu tenho só isso para mostrar sabe?

– Como assim “só isso”?

– Ué, só isso oras. Não tenho nada mais complexo, elaborado.

– Sim, mas isso é o que você tem não é mesmo?

– É, mas é uma porcaria.

– Já te vi, outras vezes, se referindo à sua produção da mesma forma. Como seria se você pudesse ver o que tem de bom na sua obra?

– Hum, difícil.

– Igualmente difícil vai ser você crescer com o seu trabalho então. Você reconhece esse padrão no qual você fica desqualificando o seu trabalho?

– Sim.

– Veja bem, esse é o padrão que você deve mudar agora para começar uma nova etapa do seu crescimento.

– Como vou fazer isso?

– Simples: pegue a obra, veja tudo nela que você, honestamente, gosta, aprecia, acha que está bom. Diga para você mesmo “isto está bom”, é uma educação no sentido de você aprender a ver o que você fez, e valorizar (dizer-se: “isso que eu fiz está bom”).

– Hum

– Que tal tentarmos com a sua obra agora?

– Tá. É, eu gostei dos traços do desenho e também gosto muito de como eu desenvolvi o tema, acho que isso está muito bom.

– Perfeito. É por aí, quando você for falar, fale sobre isso.

– Entendo. É… acho que se eu fizer isso com mais coisas posso ter mudanças.

– Sim, pelo que você me relata, você já sabe o que fazer, lhe falta confiança, uma vez que você faça esse exercício começas a ganhar essa confiança.

– Entendi.

Menosprezar algo que criamos é diferente de apreciar. Menosprezar é uma atitude que, geralmente, envolve o todo e diz: “está uma droga”. É uma generalização que destrói todo o sentido do que foi criado.

Apreciar significa olhar para o que se fez, separar o que se gostou e o que não se gostou e poder expôr aquilo que gostamos, raciocinar com outros sobre o que não gostamos e arrecadar mais idéias para uma próxima tentativa.

Geralmente o menosprezo tem a ver com uma baixa auto-estima que pode, por exemplo, se expressar em uma crítica muito rigorosa, “preguiça” de realizar os objetivos, afastamento dos desejos. É algo como: “quem sou eu para querer/conseguir isso? Quem sou eu para afirmar que isso que eu fiz é bom?”

É importante melhorar a atuo-estima e a auto-imagem gerando uma nova identificação, uma mais rica, que envolve tanto as críticas quanto o lado positivo da pessoa – e aqui cabe uma ressalva: o lado bom é o que, de fato, está bom não significa mentir ou minimizar problemas, mas sim dizer que o que está bom, está, de fato, bom e merece ser valorizado por isso.

Abraço

Viste também o nosso site: http://www.akimneto.com.br

2 Respostas

  1. Otimo exemplo! As pessoas mais que nunca hoje necessitam aumentar sua confianca em si.

    Curtir

    • Oi Cezar!
      Obrigado pelo comentário!
      É verdade, as pessoas precisam disso sim, da verdadeira auto-confiança: confiar na sua capacidade de aprender e evoluir, resolver os problemas da vida.
      Temos um outro post sobre o tema com o nome de auto-confiança confira lá!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: