Não sei porque

– E daí me deu isso sabe? Não sei porque.

– Hum, quer dizer que vocês estavam lá apenas conversando e daí, de repente você ficou super ansioso?

– É isso.

– E sobre o que estavam conversando?

– Nada demais, coisas da vida.

– Sei, e que coisas da vida são essas?

– Ah, não me lembro bem ao certo, mas coisas normais sabe?

– Sei. Tente lembrar do momento em que você sentiu o que sentiu: o que você estava conversando?

– (pensativa)

– Tínhamos acabado de falar sobre os problemas na empresa dele.

– Sei. E antes?

– Ele falou sobre uma viagem que ele quer fazer, sobre os problemas na empresa dele que talvez ele tenha que sair de lá.

– Hum, e esses temas não significam nada para você? Eu me lembro de você ter falado sobre isso mais de uma vez ao longo das últimas sessões.

– (Pensativa) É, agora, você colocando assim dessa forma, na verdade não eram apenas coisas do cotidiano não.

– Ótimo, agora começamos a entender um pouco melhor o que te angustiou não é?

– Sim. Esse negócio do emprego dele é complicado para mim. Se ele sai vai demorar um pouco para voltar ao mercado, mesmo que seja durante pouco tempo sou eu quem vai segurar as pontas sozinhas e não sei se consigo fazer isso.

– Pois é, me parece que vamos ter que trabalhar com isso não é mesmo?

– E outras coisas também.

 

Lembrar de um evento inteiro tal como ele foi com 100% dos detalhes não é algo que nós humanos conseguimos fazer. Isso porque a quantidade de detalhes que nos escapam são enormes. Daí que sempre lembramos de partes ou do que foi importante para nós.

Um outro mecanismo também ocorre quando omitimos alguns pedaços da informação que são importantes, mas que omitimos por alguma razão. Geralmente deixamos esses detalhes de lado por não sabermos como lidar com eles, por eles nos causarem medo ou ansiedade. Quando não queremos olhar para isso geralmente esses detalhes desaparecem da nossa memória.

Uma das ideias é buscar lembrar da emoção e buscar o momento em que ela surgiu, começar a fazer todas as conexões para ir buscando as informações que ficaram omitidas por estas defesas que, neste momento, estão apenas ajudando a afastar a dor, mas não à resolver o problema.

Reconhecer é o primeiro passo para resolver um problema. Quando temos dificuldade em reconhecer nossos medos e limitações omitimos informações importantes de nós mesmo e ficamos com uma sensação estranha quando sentimos ansiedade ou medo, por exemplo. Essa estranheza geralmente se resolve quando paramos para verificar nossas emoções e os momentos em que as sentimos.

 

2 Respostas

  1. muito bom, claro e objetivo.

    Curtir

    • Olá Argemiro!
      Obrigado pelo elogio! Abraço

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: