Rejeição

– … e aí Akim ela me deixou lá e foi pra casa dela!

– E você o que fez?

– Eu liguei para ela, passei por lá e nada!

– Complicado né? Como você está se sentindo com isso?

– Rejeitadíssimo óbvio né?

– Esperado. Ela deixou bem clara a escolha que ela fez não foi?

– É claro demais.

– Foi… está sendo difícil para você de lidar com a escolha dela não é?

– Cara, ela me rejeitou, você espera que isso seja tranquilo?

– Não, rejeição é sempre complicado. Escolhas é um pouco mais tranquilo, mas a rejeição é mais complicada.

– Como assim “escolha é mais tranquilo” e “rejeição é mais complicado”?

– Ela escolheu estar longe de você, mas, aí dentro você sente isso como se ela tivesse rejeitado o seu eu por completo. Imagino que você deva estar sentindo um idiota, sem atrativos, burro, feio, coisas assim não é?

– É… bem por aí… Mas porra, “escolheu ficar longe de mim” e “me rejeitou” dá na mesma!

– Quase. O problema de se sentir rejeitado é que você está se acusando de alguma coisa. E o que ela rejeitou foi a sua companhia a possibilidade de estar contigo e não o seu eu. Como ela poderia rejeitar o seu eu? Só se ela fosse uma maga e te apagasse da existência!

– Hum… você quer dizer que ela não tem como me rejeitar, mas tem como rejeitar querer ficar comigo é isso?

– É.

– Não dá na mesma?

– Não.

– Rsrs… mas eu sinto do mesmo jeito!

– Eu sei, vamos trabalhar para te ajudar com isso. Perceba rejeitar o seu eu só é possível com o seu aval, por isso eu sabia que você estava se sentindo feio e burro. Ninguém consegue rejeitar o eu do outro sozinho, podem discordar e não desejar estar junto com o outro, mas não conseguem rejeitar, simplesmente pelo fato de você existir!

– Hum… eu entendo, mas não consigo sentir dessa forma.

– Ok, compreender essa diferença já é um primeiro passo.

 

Quando as pessoas se dizem “rejeitadas” é necessário entendermos como esse processo ocorre.
Rejeitar alguma coisa é um sinônimo para “não quero isso, quero aquilo”. É como se você estivesse em um restaurante, e o garçom lhe sugere um prato e você diz: “hum, obrigado, mas não quero isso não, prefiro um filé à parmeggiana”. Desta forma ninguém é “rejeitado” pois “rejeição” nada mais é do que a constatação por parte daquele que “rejeita” – o termo adequado é escolhe – de que o que está sendo “rejeitado” não é exatamente aquilo que o “rejeitador” deseja.

O que  ocorre dentro de nós é que compreendemos a escolha do “rejeitador” como algo pessoal. “Ele está ME rejeitando”, ou seja a escolha assume um caráter de identidade e a pessoa toma a escolha do “rejeitador” como uma definição de eu: um “eu rejeitado”. Para isso é necessário partir do suposto que é o outro quem me define ou quem me rejeita. Se o outro me aceita eu existo se não não existo sou “rejeitado”. O termo “rejeitado” significa aquilo que não é aceito, que é descartável sempre sob um ponto de vista – existe alguém que toma a decisão de descartar, não aceitar. Por isso que a pessoa se sente um lixo, feia, burra pois ela passa a se desqualificar.

Esse entendimento que o “rejeitado” cria é que é o problema. Sim a companhia dele foi rejeitada, a pessoa não deseja aquele tipo de companhia para ela, no entanto, não é um problema pessoal com o “rejeitado”, mas sim uma questão de definição do “rejeitador” sobre com quem ficar ou não. Daí que tomar a “rejeição” como uma definição de identidade é problemático por ser um julgamento auto-criado e “falso” (no sentido lógico).

O primeiro passo então é fazer essa diferença entre ter sua companhia, trabalho, arte rejeitada e o seu “eu” rejeitado. Este último só pode ser rejeitado se a pessoa tomar a rejeição como pessoal. Geralmente a baixa auto-estima, limites muito rígidos, pouca flexibilidade em habilidades interpessoais contribuem para tomar a rejeição como pessoal. Fica a dica do que cuidar.

Reconheça que as pessoas TEM a possibilidade de desejarem estar com outras pessoas que tem características diferentes das suas e que isso não tem nada a ver contigo, tem a ver com elas, escolhas delas, desejos delas. E que, por sua vez, existem pessoas que desejam estar com pessoas com as suas características e é nestas que vale a pena apostar. Dica: a principal destas pessoas pode ser você! Que tal contemplar a alternativa? Você se sente bem sozinho?

Abraço

visitem o nosso site: http://www.akimneto.com.br

2 Respostas

  1. Muito bom!

    Curtir

    • Oi Lygia!
      Seja bem vinda ao blog, obrigado pelo elogio!
      Amanhã tem mais post!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: